08 março 2007

Dia da Internacional da Mulher? Tretas!


Hoje assinala-se mais um Dia Internacional da Mulher. Não é coisa que me deixe contente, até porque não há muito a comemorar, a não ser o facto pelo qual se assinala: homenagear as 129 operárias de uma fábrica de Nova York que, a 8 de Março de 1857, morreram carbonizadas quando protestavam sobre as más condições de trabalho e reduzidos salários.
Sem dúvida que, ao longo dos anos, as mulheres têm conseguido impor-se perante a sociedade e muitos dos (ridículos) direitos que lhes eram vedados desapareceram por completo mas, ao assinalar-se mais um Dia Internacional da Mulher, é bom lembrar que muita coisa há ainda a fazer para mudar mentalidades.
A violência doméstica em Portugal, é um dado preocupante para a Amnistia Internacional (AI) que, de acordo com dados do Observatório das Mulheres Assassinadas (OMA), revelou que só em 2005, 33 mulheres foram mortas no seio familiar, 29 pelo companheiro, ex-namorado ou parceiro, e quatro por outros familiares.
Segundo a Associação de Apoio à Vítima (APAV), em 2006 registaram-se em Portugal 22 casos de homicídio ou tentativa de homicídio contra mulheres e mais de 13 mil crimes de violência doméstica.Isto no que se refere à violência física. A violência psicológica, a que muitas mulheres ficam submetidas, essa fica entre quatro paredes e é quase impossível de contabilizar.
A outro nível, e de acordo com um estudo feito pelo gabinete de auditoria internacional Grand Thornton, verifica-se que pelo menos 38 por cento das empresas no mundo inteiro com 150 a 500 assalariados não têm qualquer mulher em cargos da mais alta responsabilidade. O relatório mostra ainda, que as mulheres continuam a ter salários inferiores aos dos homens.
É por tudo isto que há que lutar TODOS os dias, e não apenas no Dia Internacional da Mulher.

1 comentário:

Pablo disse...

Quem fala assim não é gago !!!