17 abril 2007

O reverso da medalha


Outrora ilha paradisíaca, com praias de perder de vista, pouca gente, terra pacata. Há 15 anos atrás apenas os mais abonados tinham o privilégio de passar umas férias tranquilas na Ilha do Sal (Cabo Verde). Hoje, por – como se costuma dizer – “tuta-e-meia” qualquer um pode viajar até aquela ilha africana para um merecido descanso. Contudo, o desenvolvimento que o turismo levou à ilha, começa a revelar o reverso da medalha.
De acordo com o jornal “Expresso das Ilhas”, a droga e a prostituição começam a tomar conta das ruas da ilha, sem que qualquer medida esteja a ser tomada. Os habitantes queixam-se da falta de segurança e atribuem culpas ao turismo desmesurado.
Este é apenas um caso igual a tantos outros, em que o desenvolvimento não sustentado torna um paraíso num inferno. É claro que a pobreza que o continente africano enfrenta, tem grande cota de culpa, mas a mim custa-me ver belezas naturais como esta, começarem a fazer parte de outras rotas que não as do turismo de qualidade.

1 comentário:

Vitor disse...

Bom post. Crescimento sustentado é algo muito complicado num país pobre. É um problema semelhante ao português... e não parece.